Ouro no mundial e vaga em Paris 2024 para as meninas do vôlei sentado.

O time feminino de vôlei sentado fez história nesta sexta-feira, dia 11. A equipe conquistou o ouro na competição, com o título inédito de campeã mundial da modalidade. O evento foi disputado em Sarajevo, na Bósnia.

Elas disputaram a final contra a seleção canadense às 12h30 (Horário de Brasília). A vitória foi no tie-break com as parciais (25×23 / 18×25 / 21×25 / 25×17 / 15×6). O Brasil fez um primeiro set apertado. No terceiro set, o time brasileiro chegou a abrir vantagem, mas as canadenses levaram a melhor. As brasileiras recuperaram bem no quarto set. Além de levarem ouro como campeãs mundiais, as meninas garantiram a vaga nos Jogos Paralímpicos Paris 2024.

“Nós somos muito unidas, acho que isso deu força pra gente. O time estava muito confiante. Pegamos o cruzamento de chaves bem difícil, enfrentamos os EUA na semifinal, com uma vitória histórica. Nossa equipe estava mais preparada mais atletas experientes, com técnico novo e um banco que consegue trocar muito bem. É um sonho essa medalha de ouro e a vaga para o Brasil em Paris 2024”, comemora a atleta Luiza Fiorese.

A seleção Brasileira feminina já detém duas medalhas paralímpicas (bronze) conquistadas no Rio2016 e Tóquio 2020. Neste Mundial, elas fizeram uma campanha impecável, com seis vitórias em seis partidas. 

* Brasil x Canadá

Brasileiras e canadenses se enfrentaram duas vezes nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. Em ambos os confrontos, o Brasil derrotou a seleção rival por 3 sets a 1. O primeiro duelo foi pela primeira fase, já o segundo foi a disputa pela terceira colocação. 

Já no Torneio Holandês de vôlei sentado, realizado na cidade de Assen, na Holanda, em julho deste ano, as canadenses levaram a melhor e derrotaram o Brasil por 3 sets a 0.  

Luiza Fiorese participa de primeiro mundial da carreira e espera trazer ainda mais representatividade para mulheres e pessoas com deficiência.

As Seleções Brasileiras masculina e feminina de vôlei sentado disputam a partir desta sexta-feira, dia 4, o Campeonato Mundial da modalidade, em Sarajevo, capital da Bósnia. O evento acontece até 11 de novembro. Com pouco mais de 3 anos de carreira na modalidade, Luiza está animada por viajar representando o país e por ser o primeiro mundial carreira.

O foco principal é a medalha, mas ela reforça que seu objetivo é ainda mais transformador: “Estou feliz em viajar pela seleção, vamos lutar para conquistar uma medalha. Mas eu quero representar o país e as pessoas com deficiência. Trabalho para ser uma inspiração. O Brasil precisa de ídolos mais plurais, com deficiência, mais mulheres, mais pessoas diferentes”, explica.

“Acredito na força da inspiração e da dedicação. O que era para ser pesadelo na minha vida acabou virando sonho”, completa a capixaba.

Curta carreira

A carreira no vôlei sentado é um pouco recente. Luiza começou a praticar no primeiro semestre de 2019 e tudo passou rápido. No fim do mesmo ano foi convocada para representar a seleção brasileira. Em 2021 conquistou medalha de bronze nos Jogos de Tóquio.

Mais sobre o Mundial de vôlei sentado

Atualmente ambas as equipes de vôlei sentado são comandadas pelo técnico Fernando Guimarães. Ao todo, 25 atletas representarão o Brasil no torneio. O time feminino estreia no sábado, às 4h (horário de Brasília), e joga contra a Alemanha. Na sequência, jogam com Itália e Finlândia. A competição feminina tem 13 seleções, separadas em três grupos. A seleção campeã garante vaga antecipada para os Jogos Paralímpicos de Paris 2024.