Fenômeno da natação paralímpica, Gabriel Bandeira, disputa o Troféu José Finkel em Pernambuco

De olho na preparação para os Jogos de Paris 2024, paratleta disputa 10 provas na maior competição do país para nadadores olímpicos.

Um dos principais nomes da nova geração de paratletas, o jovem Gabriel Bandeira, disputa na próxima semana o Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação, em Recife. O mais curioso, é que o ele competirá ao lado de nadadores olímpicos. Gabriel disputará 10 provas no maior evento do calendário brasileiro de natação convencional. O Troféu José Finkel acontece entre os dias 13 e 17 de setembro, no Parque Aquático do Centro Esportivo Santos Dumont. No esporte adaptado, Gabriel compete pela classe S14 (para atletas com deficiência intelectual).

Para o nadador do Praia Clube, o Troféu Brasil de Natação funcionará como um teste pessoal e uma forma de melhorar seus tempos. “Nadar com atletas convencionais é muito bom pois eles acabam me puxando, me estimulam a fazer um tempo melhor. Diferente de muitos atletas que são focados em um estilo e perfis de velocidade, eu estou me preparando para nadar um programa extenso nos Jogos de Paris 2024. Sei que ainda está distante, mas a preparação de um

atleta para competir tantas provas é longa e árdua. Essa base é muito importante. Estou animado e espero nadar bem”, empolga-se Gabriel.

Essa não é a primeira vez que Gabriel disputa um evento com atletas sem deficiência. Desde os 11 anos, ele competia no convencional, participando de grandes competições. Ele migrou para o paradesporto no início de 2020. Apesar de ter uma trajetória curta, Gabriel Bandeira é considerado um dos principais atletas paralímpicos da natação no país.

Multimedalhista paralímpico, Gabriel Bandeira é nomeado embaixador de Federação internacional para atletas com deficiências intelectuais

Revelação das piscinas, representará a Virtus em todo o continente americano. Organização é responsável por promover o esporte de elite e organizar competições.

Um dos maiores nomes da nova geração do paradesporto, Gabriel Bandeira, foi escolhido como embaixador da Virtus, Federação Internacional de Esportes para Atletas com Deficiência Intelectual. A organização global promove e desenvolve o desporto de alto rendimento, busca reconhecimento no cenário esportivo, além de ser responsável por organizar competições em todo o planeta.  Gabriel é o primeiro a ser escolhido como representante de todo o continente americano. O nadador foi convidado por conta do desempenho impressionante nos Jogos Tóquio 2020 e sua história única de vida.

Gabriel praticou natação convencional por quase 10 anos. Em 2019 passou por uma classificação funcional, foi avaliado como classe S14 (para atletas com deficiência intelectual), e migrou para o esporte adaptado. Mesmo com uma curta carreira como paratleta, Gabriel coleciona feitos e números impressionantes. Ao longo dessa rápida e surpreendente jornada no esporte adaptado, ele precisou se aceitar e mudou completamente de vida.

Em seu novo papel, ele espera levantar a bandeira das pessoas com algum tipo de limitação e está muito orgulhoso pela possibilidade de ser referência no assunto, além de trazer mais representatividade para o tema. 

“Estou muito honrado e grato com essa possibilidade. Gostaria que pudéssemos falar mais sobre a deficiência intelectual. Sinto que as pessoas ainda confundem o diagnóstico real e julgam mal nossa capacidade. Como embaixador, quero promover esse tipo de comunicação”, explica o atleta.

Estima-se que 2-3% da população mundial tem deficiência intelectual. Isso é entre 178-256 milhões de pessoas em todo o mundo. A Virtus quer alcançar mais e mais pessoas e espera ampliar a mensagem tendo Gabriel como Embaixador.

Sete fatos sobre o nadador Gabriel Bandeira que prometem um Mundial incrível para o Brasil

O atleta de 22 anos conquistou quatro medalhas nos Jogos de Tóquio nas provas de natação, pela classe S14 (para atletas com deficiência intelectual). Essa semana, Gabriel está na Ilha da Madeira, em Portugal, onde disputa a partir de domingo, 12, o Campeonato Mundial da modalidade. 

Gabriel praticou natação convencional por quase 10 anos. Com pouco mais de dois anos de trajetória no esporte paralímpico, ele coleciona feitos que impressionam. Preparamos uma lista para você saber mais sobre esse novo talento nas piscinas.

1 – É recordista mundial na prova dos 100m borboleta. Conquistou a marca em maio deste ano no Campeonato Brasileiro Loterias Caixa de natação, com o tempo de 54s18;

2 – É Recordista Paralímpico também na prova dos 100m borboleta, conquistado nos Jogos de Tóquio;

3 – Possui 5 recordes das Américas (100m livre, 100m costas, 100m borboleta, 200m livre, 200mm medley);

4 – Está invicto na piscina de Funchal (em Portugal) onde disputará a competição. Em maio de 2021 disputou o Aberto Europeu na mesma piscina onde acontecerá o Mundial.  Venceu todas as provas;

5 – Gabriel participou de quatro competições paralímpicas no ano de 2022. Entre disputas nacionais e internacionais, ele disputou 23 provas e conquistou 22 pódios. Ou seja, só não subiu ao pódio uma vez. Todas as participações foram focadas na preparação para o Mundial de Portugal;

6 – Em 2022 ele conquistou:
16 ouros
4 pratas
2 bronzes

7 – No Mundial, que começa neste domingo, ele disputa 7 medalhas:  200m livre, 100m costas, 100m peito, 200m medley e 100m borboleta, além dos revezamentos 4×100 livre e 4×100 medley.

“A aclimatação está muito boa. Consegui me adaptar ao fuso horário rápido. Tenho descansado bem, fiz treinos muito bons. Meus tempos estão saindo fácil. A piscina é ótima, parece que é rápida. Acho que a competição vai ser muito boa. Vou disputar sete provas. Estou bem animado paro os 200m livre, no domingo, dia da minha estreia. É cansativa por ser longa. Mas meu estilo de crawl está muito bom, consegui encaixar bem. Espero um bom resultado” explica Gabriel. 

O campeonato Mundial acontece entre os dias 12 e 18 de junho, na Ilha da Madeira, e será transmitido pelo youtube do Comitê Paralímpico Internacional. 

A equipe brasileira terá 29 nadadores em busca de medalhas. Na última edição da competição, realizada em Londres, em 2019, o Brasil terminou em 11º lugar no quadro de medalhas, com cinco ouros, seis pratas e seis bronzes, e um total de 17 pódios. A Itália ficou com a primeira colocação no geral com 20 ouros, Grã-Bretanha terminou em segundo (19 ouros), e a Rússia (18 ouros) em terceiro.Este será o maior evento paradesportivo já realizado em Portugal. O Mundial estava inicialmente marcado para setembro de 2021, mas devido ao adiamento dos Jogos Paralímpicos de Tóquio, a competição foi reagendada para este ano.

Gabriel brilha nos 100m borboleta e ganha o 1º ouro para o Brasil nas Paralimpíadas

A estreia do nadador Gabriel Bandeira em Jogos Paralímpicos não poderia ter sido melhor. Na manhã desta quarta-feira, 25, horário do Brasil, o paulistano brilhou no Centro Aquático de Tóquio nos 100m borboleta, classe S14. Com o tempo de 54s76, ele faturou a medalha de ouro e de quebra bateu o recorde paralímpico da prova. 

“Foi uma prova que dei o meu melhor e deu tudo certo. Acabei ficando um período a mais em isolamento no Japão, mas estava me sentindo bem e fiquei muito feliz pela prova e por começar a competição com uma medalha de ouro”, afirmou o atleta que deixou para trás o inglês Reece Dunn e o australiano Bem Hance.

Gabriel Bandeira já tinha mostrado que faria uma prova forte na final ao quebrar o recorde paralímpico ainda nas eliminatórias. Na ocasião, Bandeira passou para a decisão com o segundo melhor tempo com a marca de 56s78.

“Eu nadei as eliminatórias para classificar. Consegui poupar um pouco e na final não pensei duas vezes e fui para cima. Agradeço muito o carinho de todos, da minha família, e ainda tem mais. Importante começar os Jogos Paralímpicos desta forma”, ressaltou o ex-atleta da natação convencional que começou em 2019 a sua história no movimento paralímpico quando cedeu ao seu próprio preconceito e hoje vive um momento único em sua vida.Gabriel Bandeira ainda brigará por medalhas nas provas dos 100m peito e costas; nos 200m livre e medley e no revezamento 4x100m livre. Ele voltará a entrar na piscina na sexta-feira, 27, às 5h28 para competir os 200m livre.