Vinícius Rodrigues participa da Running Clinic Ottobock no Chile

Nos dias 11, 12 e 13 de outubro o brasileiro Vinícius Rodrigues participa como convidado do Running Clinic Ottobock – edição Chile. O Atleta estará no evento para compartilhar conhecimento e motivação com os participantes de seis países da América Latina, O evento mundial destinado ao esporte para pessoas amputadas dos membros inferiores tem uma pegada educativa e de troca. Participam usuárias de próteses e que nunca tiveram experiência com corrida ou querem voltar a correr.

Os participantes, de seis países da América Latina, vão estar reunidos em Santiago, capital chilena, para focar no aprendizado do esporte, juntamente com equipe de peso da Ottobock América Latina. Além de inspirar crianças, Vinícius reencontra seu ídolo e grande inspirador do esporte, o alemão Heinrich Popow, que competiu na modalidade nas Paralimpíadas de 2004, 2008 e 2012.

“O Popow foi o primeiro atleta amputado que me inspirou e me ajudou a conseguir uma prótese de corrida. Tenho muita admiração pela pessoa e pelo atleta. é uma honra reencontra-lo neste evento tão incrível”.

Vinícius ainda terá uma missão nobre, ajudar o multimedalhista de natação Daniel Dias na pista de corrida.
Isso mesmo, Daniel Dias, ainda iniciante na prática, fará suas primeiras tentativas numa pista de atletismo.

Estar nas pistas será uma novidade para o nadador, que não esconde a expectativa de testar suas habilidades em um novo esporte. “Nunca havia participado de uma competição do atletismo paralímpico. Ainda não sei como correr com a prótese, mas estou muito empolgado e feliz com a oportunidade”, comenta.

“Ainda que eu não esteja treinando no mesmo ritmo que eu treinava na época em que competia na natação, sempre busco me manter ativo na prática esportiva, pelo menos três vezes na semana. Espero me adaptar com a prótese para a corrida para que eu possa ter um cronograma de treinamento”, afirma Daniel.

O objetivo Running Clinic Ottobock é reunir pessoas que desejam aprender a correr e desfrutar da atividade pela primeira vez. Os participantes do evento vão utilizar durante os três dias uma prótese desportiva produzida pela empresa alemã. No último dia, que será aberto ao público, vão correr 200 metros para mostrar o que aprenderam durante as atividades esportivas.

“A ideia é mesmo um amistoso e troca de conhecimento, diversão, além de ser um evento que inspira. Estou feliz com a oportunidade de fazer todo mundo correr e sentir a mesma sensação que eu tive quando comecei. Sem dúvida, é uma liberdade”. Empolga-se Vinícius.

Vinícius Rodrigues leva na bagagem aprendizado de Tóquio e mira o ouro em 2024

O pensamento que a vida é um eterno recomeço encaixa perfeitamente na biografia do atleta Vinícius Rodrigues. Nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, o brasileiro ganhou a medalha de prata nos 100m T63 (amputados de membros inferiores), com o tempo de 12s05. Por apenas um centésimo de diferença o paranaense não conquistou o ouro, que ficou com o russo Anton Prokhorov. Sem pensar duas vezes, ele já colocou como meta o primeiro lugar na próxima edição da competição que será em Paris.

“O sonho e toda a visualização que a gente fez foi com a douradinha. Estou na minha primeira Paralimpíada, não posso dizer que estou pleno, mas estou feliz por voltar com a medalha para casa. Esse centésimo de segundo transformou o ouro em prata, mas de grão em grão ele vai virar ouro até porque no Mundial de Dubai foi bronze, agora uma prata, e eu vou buscar o primeiro lugar, o ouro vem!”, afirmou.

Vinícius Rodrigues passou por um momento difícil em sua vida quando sofreu um acidente de moto e precisou amputar a perna. Ele seguia a recuperação no hospital quando foi surpreendido com a visita da velocista Terezinha Guilhermina que fez a ponte com outro campeão paralímpico, o alemão Heinrich Popow. Naquele momento, Vinícius mantinha o otimismo que a sua vida estava recomeçando e de uma forma melhor. Começou a treinar com a prótese e a adaptação foi muito rápida.

“Sempre fui positivo. Acho que Deus colocou essa sementinha de alegria em mim para aguentar as pancadas da vida e tudo é aprendizado. Tóquio me ensinou muito e tenho orgulho de ter escrito mais uma página nesta história. Consegui colocar uma coroa em um trabalho de seis anos e me sinto um verdadeiro campeão”, disse.

Rodrigues vai tirar uns dias de descanso para ficar com a família e logo voltará em uma imersão nas pistas para iniciar o novo ciclo. “Eu estou louco para ouvir o hino nacional e fazer a minha dancinha no pódio. Vamos trabalhar firme porque Paris está logo ali e ano que vem já tem Mundial”, avisou.

Vinícius Rodrigues classifica para a final dos 100m quebrando recorde paralímpico

A estreia do brasileiro Vinícius Rodrigues nos Jogos Paralímpicos Tóquio foi com quebra de recorde da competição. Nos 100m T63, classe para amputados de membro inferior acima dos joelhos, o paranaense fez uma semifinal forte passando para a decisão que será disputada nesta segunda-feira, 30, às 8h33, com o tempo de 12s11.

“Fiz uma prova segura onde preciso encaixar a minha largada para realizar o objetivo. Estou feliz com o tempo e sei que posso melhorar. Vou assistir o vídeo, conversar com o meu treinador e descansar para na final a gente encaixar tudo da forma correta”, ressaltou o brasileiro.

Atual recordista mundial na prova, Vinícius acredita que não terá vida fácil pela frente, mas está preparado para fazer uma boa final. “O importante é estar leve, sentindo segurança e isso eu consegui fazer na semifinal passando com a melhor marca. O ciclo foi muito bom e realmente espero ser coroado por tudo o que eu fiz”, completou.Os adversários do brasileiro na prova serão: o russo Anton Prohorov, o sul-africano Michael Puseletso, o australiano Scott Reardon, o dinamarquês D. Wagner, o italiano Alessandro Ossola, o holandês Joel de Jong e o atual campeão mundial, o alemão Léon Schäfer.