Luiza Fiorese comemora medalha de bronze de vôlei sentado em Tóquio

Luiza Fiorese comemora medalha de bronze de vôlei sentado em Tóquio

A capixaba, que estreou em jogos oficiais, exalta a força da equipe brasileira na conquista da segunda medalha da modalidade

por Mônica Valentin | set 04, 2021 | Luiza Fiorese, Notícia, Notícia Destaque

“Acho que não tinha jeito melhor de começar no cenário de uma Paralimpíada do que com uma medalha. Mas muito mais do que isso é começar com grandes exemplos na minha frente. Eu, como caloura, me vejo nas próximas Paralimpíadas fazendo o que essas meninas fizeram hoje, o que elas entregaram”. Emocionada, Luiza Fiorese destacou a força da Seleção brasileira feminina de vôlei sentado, que conquistou, no início da manhã deste sábado, a medalha de bronze nas Paralimpíadas de Tóquio. Na decisão, no Complexo Makuhari Messe, em Chiba, o Brasil derrotou o Canadá por 3 sets a 1 (25/15, 24/26, 26/24 e 25/14).

Com a conquista, a seleção repetiu o feito da Rio 2016, quando venceu a Ucrânia na decisão do terceiro lugar. O novo triunfo consolida o Brasil entre as potências femininas no cenário do vôlei sentado mundial. “Eu quero muito continuar esse legado, acho muito importante ter este exemplo (das jogadoras mais experientes). É muito importante para o vôlei sentado brasileiro conquistar essa medalha, conseguir esse feito, essas duas medalhas seguidas”, avaliou Luiza. 

Uma das novatas da seleção, a capixaba de 24 anos estreou em jogos oficiais pela equipe nos Jogos de Tóquio e faz parte do processo de renovação do time brasileiro, que conta com várias remanescentes que ganharam a medalha de bronze no Rio, como Gizele Dias e Nathalie Silva. 

O jogo 

A partida que valeu o segundo bronze paralímpico do vôlei sentado feminino foi menos sofrida do que a da estreia em Tóquio, quando a seleção derrotou o mesmo Canadá por 3 sets a 2, em 2h40 de partida. O nervosismo do jogo inaugural fez o time oscilar e não apresentar a consistência vista nas outras duas partidas na fase de classificação, nas vitórias contra Japão e Itália, e no jogo decisivo deste sábado.

Mais soltas em quadra, as brasileiras impuseram o ritmo no primeiro set, fechando em fáceis 25/15. O Canadá entrou no jogo no segundo set, que seguiu equilibrado até a reta final, quando as canadenses abriram 24/20. Com uma boa sequência de Pamela no saque, o Brasil salvou

quatro set points e empatou em 24/24, mas o Canadá ainda conseguiu fechar em 26/24. 

Terceiro set, o momento crucial do jogo

O terceiro set foi um verdadeiro teste para o equilíbrio emocional da seleção e o momento crucial da partida. Depois de ficar atrás no placar durante quase toda a parcial e ver o Canadá abrir uma vantagem confortável, o Brasil reagiu, empatou e virou o jogo, fechando em 26/24. Era a senha para a medalha de bronze que se aproximava. 

Embaladas, as brasileiras voltaram a comandar a partida no quarto set, não dando chance para as canadenses. Depois de abrir 10/3, a seleção retomou o ritmo imposto no primeiro set, com efetividade no ataque e eficiência defensiva, fazendo vários pontos de bloqueio. Com isso, venceu a parcial com mais tranquilidade, em 25/14, e o duelo por 3 a 1, garantindo o bronze.