Vinícius Rodrigues leva na bagagem aprendizado de Tóquio e mira o ouro em 2024

Vinícius Rodrigues leva na bagagem aprendizado de Tóquio e mira o ouro em 2024

Medalhista de prata nos 100m T63 já está focado no novo ciclo

por Mônica Valentin | set 03, 2021 | Notícia, Notícia Destaque, Vinicius Rodrigues

O pensamento que a vida é um eterno recomeço encaixa perfeitamente na biografia do atleta Vinícius Rodrigues. Nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, o brasileiro ganhou a medalha de prata nos 100m T63 (amputados de membros inferiores), com o tempo de 12s05. Por apenas um centésimo de diferença o paranaense não conquistou o ouro, que ficou com o russo Anton Prokhorov. Sem pensar duas vezes, ele já colocou como meta o primeiro lugar na próxima edição da competição que será em Paris.

“O sonho e toda a visualização que a gente fez foi com a douradinha. Estou na minha primeira Paralimpíada, não posso dizer que estou pleno, mas estou feliz por voltar com a medalha para casa. Esse centésimo de segundo transformou o ouro em prata, mas de grão em grão ele vai virar ouro até porque no Mundial de Dubai foi bronze, agora uma prata, e eu vou buscar o primeiro lugar, o ouro vem!”, afirmou.

Vinícius Rodrigues passou por um momento difícil em sua vida quando sofreu um acidente de moto e precisou amputar a perna. Ele seguia a recuperação no hospital quando foi surpreendido com a visita da velocista Terezinha Guilhermina que fez a ponte com outro campeão paralímpico, o alemão Heinrich Popow. Naquele momento, Vinícius mantinha o otimismo que a sua vida estava recomeçando e de uma forma melhor. Começou a treinar com a prótese e a adaptação foi muito rápida.

“Sempre fui positivo. Acho que Deus colocou essa sementinha de alegria em mim para aguentar as pancadas da vida e tudo é aprendizado. Tóquio me ensinou muito e tenho orgulho de ter escrito mais uma página nesta história. Consegui colocar uma coroa em um trabalho de seis anos e me sinto um verdadeiro campeão”, disse.

Rodrigues vai tirar uns dias de descanso para ficar com a família e logo voltará em uma imersão nas pistas para iniciar o novo ciclo. “Eu estou louco para ouvir o hino nacional e fazer a minha dancinha no pódio. Vamos trabalhar firme porque Paris está logo ali e ano que vem já tem Mundial”, avisou.